sábado, 17 de dezembro de 2011

Rumo ao desconhecido...

Finalmente as férias começaram... mas isso não significa folga e nem tão pouco que o trabalho acabou. Na verdade, o maior trabalho começa agora. Preciso me preparar para 2012, começar com força total o ano que se aproxima. Velhas lutas e novas conquistas... velhos sonhos e novas perspectivas. Chegar mais longe que nunca e para isso é necessário preparação.
Esse novo giro solar será uma volta profética... especulações sobre o fim mundo e as professias que povos antigos previram sobre catástrofes que destruirão a Terra; a revolta da natureza contra o homem; as revoltas dos homens contra os homens; disputas por terra; um resgate profundo dos instintos de sobrevivência. 
2012 promete guerra e paz. Vida e morte. Como todos os anos anteriores a ele. Mais uma empreitada rumo ao (teóricamente) previsto, (praticamente) profético e inquestionávelmente DESCONHECIDO.

Até lá!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Na reta final...

Provas, trabalhos, leituras, produções textuais, correções... 
Ufa! Ainda bem que está acabando! Fechamento de bimestre é sempre cansativo, mas o último é realmente o mais trabalhoso! É nesse momento que nós, professores, percebemos os resultados do trabalho de um ano inteiro; vemos o quanto nossos alunos aprenderam conosco e o quanto nós aprendemos com eles.
Na verdade, passar ou não passar de ano é uma escolha do aluno e não nossa. Se o aluno se propõe a frequentar as aulas, fazer as atividades, prestar mais atenção e não faltar às aulas, ele facilmente passa de ano. Não precisa muito esforço. Sempre tem aqueles alunos que conseguem aproveitar o máximo das aulas, como também aqueles que não fazem o mínimo de esforço para participar... assim vamos tentando conduzir esses meninos e meninas a uma escolha consciênte. Tentamos guiá-las através dos caminhos mais atrativos possíveis a cada idade. É desafiador.

Um ciclo se fecha daqui alguns dias, para um novo ciclo começar. E assim o aprendizado é contínuo e a roda gira mais uma vez. Voltas e revoltas do ensino público... 

Até a próxima.

sábado, 12 de novembro de 2011

Sarau do Manolo (29/10)

Por Tânia Yuri Moreira

O Sarau do Manolo é um evento cultural que acontece sempre um sábado por mês, às 19:00h, em espaços variados da cidade de Atibaia. É uma iniciativa de um grupo de jovens, sem parcerias políticas e sem patrocínio, que se reúnem para recitar poemas, trocar idéias, divulgar suas produções. O grupo se mantém com a renda da cozinha e da venda de zines produzidos pelo grupo, além de contribuições espontâneas dos freqüentadores do sarau.
Essa foi a 8ª edição do Sarau do Manolo e aconteceu nas dependências da Difusão Cine Clube de Atibaia contando com a presença de aproximadamente 60 pessoas, entre várias idades que recitaram poemas, poesias, contos e micro contos, além de intervenções musicais e alguns autores lendo trechos de seus livros já publicados.
Como nas edições anteriores, houve exposição de trabalhos no “Varal do Manolo”, que nada mais é que uma linha de barbante estendida, como um varal, onde qualquer pessoa pode pendurar o que quer expor, os artistas levam sua arte impressa e podem deixá-la em exposição; quadros postos em cadeiras e poltronas criaram uma espécie de interação com o público; espalhadas pelas paredes diversas imagens, desenhos entre outras produções; um grande painel em branco num dos cantos da sala com diversas palavras recortadas dentro de uma caixa ao lado de um tubo de cola, persuadiam o público a compor uma poesia coletiva; todos esses fatores construíram um ambiente extremamente artístico.
O público presente ainda pôde assistir em primeira mão um documentário sobre uma comunidade quilombola e a tentativa dos mais antigos de manterem viva a sua cultura apesar da constante influência da modernidade. Para finalizar o evento, um grupo de capoeiristas armados de tambores e pandeiros, fizeram uma batucada e, com chave de ouro, encerraram os trabalhos. Apesar da chuva, essa foi uma das edições que mais gostei de participar. É possível respirar arte e ativismo no Sarau do Manolo!
Até a próxima...

domingo, 6 de novembro de 2011

Deriva...

Tem horas que a vida parece ser apenas um barco a deriva e você é apenas mais um entre tantos náufragos perdidos na imensidão do mar... Navegar com segurança não é facil e encontrar tripulação confiável é ainda mais difícil. Mais uma vez eu indago:
- E agora, capitão? Para onde seguir, ficar ou partir? Abrir mão ou agarrar com toda a força? 
Vou atracar... encontrar um porto onde amarrar o barco... quero ter paz e descansar, sem tormentas, sem tempestades... quero a calmaria de um barco a deriva e o silêncio de uma tripulação inexistente de um barco sem capitão.
Ações dizem mais do que palavras. As palavras se desfazem no tempo. são altamente questionáveis e, por mais que tentemos convencer alguém de algo que vai contra a nossa conduta, não dá para negar que as ações são o que revelam o que somos verdadeiramente.
Navegar... vagar... devagar.
 
Até...

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Meu abismo...

Estou tão triste e decepcionada que mal posso descrever... é muito ruim sentir o que sinto agora. Estou sem saber como agir diante desses sentimentos que me apertam o coração. Como é possível? Qual a razão de tudo isso? Nunca me senti tão decepcionada com alguém que amo tanto! Dói muito...todo o orgulho que eu sentia por ele simplesmente se desifzeram diante de uma atitude tão absurda! Espero que tudo passe logo, mas infelizmente essa é uma lembrança ruim que nunca mais vou esquecer... Será que estou fazendo tudo errado?
Preciso de ajuda... não sei mais o que fazer... "minha dor hoje é tão intensa que acho que a alegria é uma doença e a a tristeza é minha única saúde."
Me seinto horrível como nunca me senti... quero mergulhar numa nuvem e sumir na tempestade...
Até...

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Tempo...

    Pensando no tempo, no passar do tempo, comecei a refletir sobre a relatividade que existe na própria concepção de tempo. As vezes acho que o tempo está demorando a passar, outras vezes acho que está passando rápido demais... é relativo ao momento que estou. Provavelmente é assim com a maioria das pessoas.
     Quero tanto que chegue logo o dia em que ganharei bem o bastante para construir minha casa, comprar meu carro, pagar um curso de inglês para o Cainã e por aí vai... ao mesmo tempo quero que o tempo pare de passar e que meu menino continue a criança inocente que, por enquanto, ainda é. Sei que o tempo vai passando a seu tempo e que paciência nem sempre se faz presente, mas o que podemos fazer a não ser viver? Essas reflexões fazem toda a diferença nesse viver... a velocidade dos dias não pode impedir a mente pensante de exercer o seu papel. Não devemos nos deixar levar pelo tempo de forma incosciênte, é preciso ter consciência e ciência do nosso próprio tempo. Reflita ...
     Até a próxima!

sábado, 17 de setembro de 2011

Misteriosa criança...

Tive um sonho diferente essa noite... acordei meio encanada, pois acho que pode ser um desses sonhos cheios de significados a serem interpretados... pesquisei na inteernet, mas não achei algo que fosse suficiente para interpretá-lo. Foi mais ou menos assim:
Eu estava rebocando um muro de uma avenida  do bairro onde moro, quando de repente chegou um menino que faz futebol com o meu filho... ele me cumprimentou e começou a amassar o reboco que eu estava fazendo, deixando marcas com as mãos. Eu arrumava e ele continuava, então perguntei onde estavam os pais dele, se estavam com ele, ele apontou para o outro lado da rua, de lá acenaram duas mulheres (supostamente mãe e irmã mais velha do goroto)... Atravessamos a rua, ele me abraçando com força e carinho. Eu o entreguei para as mulheres...  aí aconteceu a coisa estranha: surgiu, não sei de onde, uma menininha loirinha, mais ou memos 2 ou 3 anos de idade, fofinha e de cachinhos no cabelo,ela me abraçava e me beijava com amor, e eu, mesmo sem saber quem é essa menininha, também gostava dela... eu a apertava e a beijava também sentindo amor e carinho por ela... mas na vida real eu nunca vi essa menina!!! Quem será ela? O que essas pessoas estavam fazendo no meu sonho? Que mensagem podem estar enviando? Bom, as respostas eu ainda não sei, mas gostaria muito de desvendar esse mistério... se você souber de algum significado para esse sonho que tive, por favoe me diga...
Enquanto isso, vou vivendo e sonhando...
Até a próxima!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Intempérie

Tem dias em que tudo parece estar errado! A gente prepara a aula, se prepara para a aula e, quando chega na hora do vamos ver, descobrimos que de nada valeu tanto preparo... sei que é preciso ter paciência com alunos que não querem nada com nada e que a minha missão é justamente resgatar esse tipo de aluno, mas, sinseramente, hoje eu não estava com o menor saco para pouco caso.
Se eu pudesse jogar tudo pro alto, com certeza já teria mandado tudo para PQP, mas infelizmente ainda não é o momento... quero um dia poder dar aulas apenas para aqueles que querem aprender algo de valor e não para crianças que se acham senhores de seus narizes, mas que na verdade mal sabem escrever, isso esstando na 7ª série!
Adoro o que faço, mas, como em todas as profissões, também tenho meus dias de intempérie...
Até a próxima.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Cris...

Crisálida
enclausurada
em seu
casulo
quase
cristão




Até.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Verborragia...

Verborragia é o nome que escolheram para uma dinâmica de produção textual. A professora Maria de Lourdes, do meu curso da pós, nos apresentou essa dinâmica da seguinte maneira: primeiro ela colocou as 10 palavras na lousa e pediu para que criássemos uma narrativa utilizando-as, mesmo sem saber os significados delas. Depois de sabermos os significados de cada uma dela, a professora pediu para reescrevermos o texto substituindo o vocabulário. Como achei a dinâmica muito legal resolvi publicar a minha narrativa. Seguem abaixo as duas versões:

Numa tarde de Setembro, Maria com sua cabriola, subiu a oblata a procura de um lupanar. Com uma das mãos no haríolo e outra no ramerrão, ficou um pouco durindana e, ao ver o lupanar, caiu com a nuga no
busílis e fez uma algaravia danada! Ela só parou quando já estava como uma contumélia.

Numa tarde de Setembro, Maria com sua cambalhota, subiu a oferta piedosa a procura de um prostíbulo. Com uma das mãos no adivinho e outra na repetição enfadonha, ficou um pouco espada e, ao ver o prostíbulo, caiu com a ninharia no "X" da questão e fez uma linguagem confusa danada! Ela só parou quando já estava como uma injúria.


Até a próxima!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Meu guri...

Pôxa, estou tão felliz!!! O Cainã, definitivamente leva jeito para música! Nesse último final de semana, o Vini começou a ensinar meu guri a tocar violão e, para a nossa alegria, descobrimos que ele é um bom aluno! Interessadíssimo, prestou atenção e fez tudo direitinho... o processador dessa nova geração é muito rápido, super memória e quando se interessam pela aula fica ainda melhor! Eu, orgulhosíssima, filmei as primeiras explorações consciêntes feitas por ele depois da aula...

Adoro essas explorações artísticas... o tempo passa e nós precisamos aproveitar a infância das nossas crianças para ensiná-las a viver com arte!
E fica aqui um agradecimento especial para o Vini, meu amor, músico, e pai de plantão... amo você!

Até a próxima!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Humores e rumores

Palavras ao vento ressoam levadas pelo ar...
É difícil o convívio com as pessoas, pois isso depende muito da personalidade de cada um. O bom senso continua sendo a melhor forma de se contornar conflitos, mas, infelizmente, o bom senso não é comum a todos. Julgar e tirar conclusões preciptadas sobre as pessoas é comum entre nós, seres humanaos, e isso não acontece apenas com relação às pessoas que não conhecemos, mas também àquelas que já fazem parte de nossas vidas. Lemos apressadamente as atitudes e o comportamento dos outros e acabamos deduzindo coisas que, muitas vezes, não correspondem à verdade.
Precisamos respirar melhor, prestar atenção ao entrar e sair do ar em nosso corpo. Precisamos cuidar do corpo e da mente. Não mentir, principalmente para nós mesmos. Estudar sempre para ler melhor as palavras e as pessoas... Quem sabe tudo isso junto nos permita controlar nossos humores e, assim, evitar os falsos rumores. Feche os olhos por um momento e olhe para si. Ouça o seu silêncio...
Até a próxima!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Acaso ou destino?

Tantas são as pessoas que passam por nossas vidas... convivem conosco um tempo e se vão. Muitas deixam marcas profundas em nossos corações, mas apesar de ter um cantinho todo especial reservadao à elas, continuam existindo apenas na nossa lembrança, se vão com o tempo, ficam no passado, seguem outros rumos. Outras, por nossa escolha ou não, permanecem e passam a escrever a história da nossa vida conosco, desempenham papéis importantes na trama de nossos destinos... por que as pessoas se encontram nessa vida? Por que essas pessoas?
Mais de uma vez aconteceu comigo coisas do tipo conhecer alguém, nunca mais encontrá-la e somente depois de muitos anos, ao nos reencontrarmos, começamos uma relação que segue até hoje, e acredito que muitas pessoas sentem e vivem o mesmo que eu vivi. Será que tudo sempre tem um propósito? Muitas pessoas acreditam que sim e eu sou uma delas. Seria muita banalidade achar que tudo é acaso ... mas é muito conformista acreditar em destino... penso que existe destino sim , porém creio que ele é mutável e não definitivo.
Bom, devaneios à parte o melhor é viver o presente!
Até a próxima...

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Lecionar

É... volta às aulas após o recesso. Replanejamento e desenvolvimentos de ações que possibilitem o melhor aproveitamento das aulas e diminua a indisciplina, que motive, estimule... desafios pela frente e mais um semestre letivo se inicia.
O que me incomoda nisso tudo é que, apesar de terem escolhido a docência como profissão, muitos dos meus colegas parecem não terem a mínima vontade de lecionar! Tudo bem, vamos combinar que nem tudo é um mar de rosas, mas é uma profissão da qual me orgulho muito. Todos precisam de professores na vida, é honroso ensinar, educar. Mas muitos dos que conheço têm uma visão pessimista e falam de maneira sofrida sobre o seu dia a dia. Reclamar é normal, é humano, porém tem limite para tudo... o professor critica o aluno por conversar durante as explicações, mas ele mesmo não para de conversar enquanto a coordenadora está falando; o professor diz que o aluno é mal educado, mas ele mesmo não pede licença para passar, corta a fala do colega, além de fazer brincadeirinhas de mau gosto...
Pois antes de criticar os outros temos que olhar para nós mesmos. Os nossos alunos não são perfeitos, mas é necessário que nós também nos avaliemos e avaliemos nossas aulas antes de criticar o comportamento deles. Não podemos julgá-los de forma arbitrária e principalmente não podemos encará-los como nossos inimigos. Eles são nosso futuro, jovens e crianças que um dia serão adultos e o tipo de adultos que eles se tornarão depende de como eles verão o mundo, e é essa a missão do professor: abrir as janelas para o mundo, expandir os horizontes de seus alunos, dar a eles um leque de possibilidades...
Lecionar é um desafio constante... e eu aceitei encarar.
Até a próxima!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Talvez

Flertes inocentes
Explosões juvenis
Temperança e tempestade
Dúvidas e certezas

Aprendizados necessários
Tentativas e erros
Claras confusões
Belas paisagens
Muitas emoções

Pessoas admiráveis
Um outro mundo desvendado
A queda do véu de maia
Sonhos e convicções
Viagens inesquecíveis

O pouso...
Amadurecimento
O ninho, a ninhada
Cuidado amoroso
Sorriso, felicidade

Amanhã, talvez...
Temperança e tempestades
Dúvidas e certezas
O Futuro, quem sabe?

Até a próxima!

domingo, 24 de julho de 2011

O haver

Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura
Essa intimidade perfeita com o silêncio
Resta essa voz íntima pedindo perdão por tudo
- Perdoai-os! porque eles não têm culpa de ter nascido...

Resta esse antigo respeito pela noite, esse falar baixo
Essa mão que tateia antes de ter, esse medo
De ferir tocando, essa forte mão de homem
Cheia de mansidão para com tudo quanto existe.

Resta essa imobilidade, essa economia de gestos
Essa inércia cada vez maior diante do Infinito
Essa gagueira infantil de quem quer exprimir o inexprimível
Essa irredutível recusa à poesia não vivida.

Resta essa comunhão com os sons, esse sentimento
Da matéria em repouso, essa angústia da simultaneidade
Do tempo, essa lenta decomposição poética
Em busca de uma só vida, uma só morte, um só Vinicius.

Resta esse coração queimando como um círio
Numa catedral em ruínas, essa tristeza
Diante do cotidiano; ou essa súbita alegria
Ao ouvir passos na noite que se perdem sem história...

Resta essa vontade de chorar diante da beleza
Essa cólera em face da injustiça e do mal-entendido
Essa imensa piedade de si mesmo, essa imensa
Piedade de si mesmo e de sua força inútil.

Resta esse sentimento de infância subitamente desentranhado
De pequenos absurdos, essa capacidade
De rir à toa, esse ridículo desejo de ser útil
E essa coragem para comprometer-se sem necessidade.

Resta essa distração, essa disponibilidade, essa vagueza
De quem sabe que tudo já foi como será no vir-a-ser
E ao mesmo tempo essa vontade de servir, essa
Contemporaneidade com o amanhã dos que não tiveram ontem nem hoje.

Resta essa faculdade incoercível de sonhar
De transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade
De aceitá-la tal como é, e essa visão
Ampla dos acontecimentos, e essa impressionante

E desnecessária presciência, e essa memória anterior
De mundos inexistentes, e esse heroísmo
Estático, e essa pequenina luz indecifrável
A que às vezes os poetas dão o nome de esperança.

Resta esse desejo de sentir-se igual a todos
De refletir-se em olhares sem curiosidade e sem memória
Resta essa pobreza intrínseca, essa vaidade
De não querer ser príncipe senão do seu reino.

Resta esse diálogo cotidiano com a morte, essa curiosidade
Pelo momento a vir, quando, apressada
Ela virá me entreabrir a porta como uma velha amante
Mas recuará em véus ao ver-me junto à bem-amada...

Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto
Esse eterno levantar-se depois de cada queda
Essa busca de equilíbrio no fio da navalha
Essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo
Infantil de ter pequenas coragens.

(Vinícius de Moraes)

Até a próxima...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

"A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken"

Comecei a ler "A biblioteca mágica de Bibbi Bokken", de Jostein Gaarder, e aconteceu um fato curioso sobre isso, mas vou ter que contar desde o início para que vocês entendam. Estamos no meio do ano e eu precisava entregar os trabalhos finais do curso de pós para as minhas professoras. A comparação entre os "Capitães da Areia" e o teaser do filme de mesmo nome, eu terminei e me senti meio órfã com relação à leitura depois que terminei o livro, continuava com vontade de ler, então, comecei a ler "A biblioteca mágica de Bibbi Bokken", que se trata de um livro dividido em duas partes: a primeira é um livro de cartas que dois primos adolescentes escrevem, eles se correspondem e contam suas aventuras... a segunda parte leva o título de a biblioteca. O curioso é que dias depois fiquei sabendo que o meu trabalho final da outra disciplina era justamente escrever uma carta tradicional, de cunho pessoal, claro que o assunto era uma análise e uma proposta de aula, mas ainda assim poderia ser diversos outros tipos de texto e a professora escolheu uma carta pessoal... coincidência? Achei um fato curioso.
Estou gostando da leitura... sou fã da literatura de Jostein Gaarder! Ainda estou na primeira parte, mas não vejo a hora de chegar logo na segunda, a história é uma delícia! Fica por aqui a dica!
Até a próxima!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Leia...

"Durante muitos anos Jorge Amado quis e soube ser a voz, o sentido e a alegria do Brasil. Poucas vezes um escritor terá conseguido tornar-se, tanto como ele, o espelho e o retrato de um povo inteiro".
José Saramago
Escritor

"Capitães da Areia é, sem dúvida, um documento valioso para a compreensão de uma época, na Bahia".
Waldir Oliveira
Ensaísta

"Jorge não escrevia livros, ele escrevia, sim, um país".
Mia Couto
Escritor

É apaixonante a linguagem de Jorge Amado e a adaptação dirigida pela neta dele promete ser mais uma deliciosa narrativa visual desse romance que povoa o imaginário de gerações... ler um bom livro novamente, depois de muito tempo e experiências vividas, é sempre uma nova leitura! Deliciosa leitura!!!
Até a próxima...

ABAB CDCD ABAB

Muita coisa aconteceu
Muita coisa mudou
A tarde se escondeu
A noite se atrasou

As vidas continuam
Seguindo vias duplas
Veias que se cruzam
Versões e desculpas

Nada aconteceu
Nada mudou
A tarde escureceu
A noite chegou

Até a próxima.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Socorro!!!

Escrever um texto científico parece um bicho de sete cabeças! Linguagem clara, objetiva, porém polida e de acordo com a norma culta da língua... escrever um artigo não é como escrever para o blog... ou é? Pode ser, mas não o é agora, a diferença está em um detalhe: aqui tenho liberdade. Trabalhar numa análise comparativa não é tarefa fácil, ainda mais quando se deixa para a última hora... manias! Mas preciso mesmo corre contra o tempo e não tenha mais tempo a perder... passar por aqui é apenas uma tentativa de arejar a mente, mas é bom voltar ao foco.
Até.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Sol de inverno...

É tão difícil acordar às 6:00 da manhã... dia frio, muito frio. Enrolo na cama. Chega a ser uma tortura sequer pensar em sair do quentinho do cobertor e enfrentar o ar gelado do quarto, pior: tirar a roupa e colocar outra para sair... ainda bem que pensei nisso e dormi com o minhocão e camiseta de manga comprida, mas o sutiã... ter que vesti-lo me obriga a tirar a camiseta e permitir o contato do ar gelado com a minha pele... isso causa arrepio! Passado esse terrível processo de saída da cama e troca de roupas, tudo fica mais fácil. Escovar os dentes, lavar o rosto... tomar café, arrumar o material que devo levar etc. Ainda antes de sair já estou mais desperta e não mais me parece tão ruim ter acordado cedo, então quando abro a porta da sala de casa rumo ao trabalho, tenho a minha recompensa e inspiração para o dia: o 'nascer do Sol' e uma explosão de cores tomando conta do ceu!!! Tons de rosa, laranja, azuis... tons vibrantes, tons pastéis... simplesmente lindo!
E assim comecei mais um dia de inverno... bom dia!
Até a próxima!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Conto de Escola...

Finalmente terminei a análise do conto! Escrevi pra caramba e li umas três ou quatro vezes esse texto do Machado... agora espero ir bem na apresentação para a classe logo mais a noite. É bom ler Machado de Assis e perceber como ele questiona e tenta entender a alma humana e como as relações humanas interferem na essência e aparência. Ele constroi a narrativa fazendo uso de uma linguagem simples, mas ao mesmo tempo impactante; nesse conto especialmente, o uso de antítese e paradoxos fazem com que a história pulse... a inocência versus a corrupção, a consciência versus o desejo... questionamentos que nos perseguem desde a infância.
Se você ainda não leu, leia "Conto de Escola" de Machado de Assis.
Até!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Aprender

Mais uma vez o I Ching tinha razão. Vejo as coisas acontecerem como ele previu... grandes coisas se desenrolando, muito aprendizado e muitas reflexões... a vida acontecendo.
O trabalho engrandece alma e esses últimos tempos tenho trabalhado bastante e estou adorando! É bom dormir depois de um dia cheio de muito trabalho! Quero muito crescer e entender cada vez mais e melhor a vida e as coisas boas que ela nos proporciona. Sei que ainda falta muito para eu chegar onde quero, mas sei que pode não estar tão longe de acontecer!
Quero aprender sobre bebidas, sobre comidas, aprender mais sobre vinhos, como servir etc. Tenho muito o que estudar...
Até.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Fases

Ao nascer temos o nosso primeiro choque: o ar entrando pela primeira vez nos pulmões causa uma sensação tão estranhamente abrupta, que nos leva ao choro... e então começamos a viver nossa fase mais inocente... a nossa infância. E a nossa primeira grande viagem rumo ao desconhecido... até aprendermos a falar, andar, comer sozinhos, ir ao banheiro sozinhos... e por aí vai. A responsabilidade e preocupações não existem. E então, quando pela primeira vez experimentamos um certo nível de domínio de nós mesmos, levamos outro choque.
O segundo choque acontece na puberdade. O corpo começa a mudar, os hormônios nos confundem, a responsabilidade nos dá medo, mas as descobertas nos fascinam! É como um segundo nascimento, menos abrupto, mas tão intenso quanto o primeiro. Os amores, os humores começam a ter outros valores... e depois de alguns anos, nós já sabemos perceber certas sutilezas, evitar rompantes, esperar a hora certa, assumir responsabilidades até que experimentamos a maturidade e com ela, um nível mais elevado de domínio de nós mesmos... e vem o terceiro choque.
O terceiro choque vem quase como quem não quer nada, menos intenso e bem menos abrupto... a velhice. Nós já não temos mais pressa, a vida tem outro sentido e entendimento, é como juntar os prazeres da adolescência à responsabilidade da maturidade, com um gostinho de infância. Uma mistura de todas as fases... a plena consciência de que uma depende das experiências e realizações alcançadas nas fases anteriores, ou seja, sua velhice depende de como você soube usar a sua maturidade, que por sua vez depende de como você aproveitou a sua juventude, que vai depender de como você conheceu o mundo...
Eu, hoje aos 29 anos, vivo minha juventude. Mais madura, porém com muito a viver ainda pela frente até o próximo choque. Comecei a pensar sobre a velhice com mais frequencia nos últimos dias... talvez pelo contato e tudo mais. Conheci pessoas com quase 90 anos esse final de semana e vi que a vida depende de oportunidades sim, mas depende principalmente de como vivemos cada uma delas... eu quero estar bem na velhice, mesmo porque depois dela só a morte... sendo a morte o fim da vida, devemos "fechar com chave de ouro"!
Até lá sigo registrando meus pensamentos, devaneios, vivências, desejos e experiências por aqui... (ou até quando a internet existir).
Até a próxima!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Aos 123 anos de Fernando Pessoa...

"Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa. Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso".

(Fernando Pessoa)

Até a próxima!

Tempos difíceis...

Estou passando por momentos de inquietação... não sei mais o que fazer e já estou perdendo as esperanças de conseguir uma estabilidade financeira que me permita não passar mais por momentos como o de agora. Tá, sei que mais da metade da população sofre do mesmo mal e que não adianta me lamentar por ser mais uma que não consegue ganhar o suficiente para pagar as contas, mas saber disso também não me conforta e tão pouco muda a minha situação, portanto ao menos ao lamento eu me dou ao direito.
R$23,00 foi o valor que o Estado me pagou esse mês. É, esse é o valor que recebi no último dia 07... mas e o restante referente as aulas que dei? Por conta da burocracia do Estado, estou recebendo sempre com dois meses de atraso e, por ter pego atribuições em uma escola diferente da que eu estava, ainda corro o risco de demorar ainda mais para receber a partir do mês que vem. Estou trabalhando feito doida, dando aulas de manhã, a tarde e a noite, aceitando todas as aulas eventuais que posso e, ainda assim, vou ter que esperar para receber... qual o outro lugar que esse tipo de coisa acontece? Onde o trabalhador só recebe pelo trabalho mais de dois meses depois? As minhas contas estão vencendo e o meu pagamento não virá com juros e correção monetária, mas as faturas que chegam na minha casa sim.
Por que temos que ser tão dependentes desse sistema? Por que não consiguimos ganhar mais do que gastamos, mesmo gastando pouco? Ai, que caca! O pior é que isso reflete e afeta todos os aspectos da vida... vem o nervosismo, a preocupação e consequentemente o mal humor, a tristeza o desânimo... e se não conseguimos parar por aí, nos afundamos numa depressão que pode piorar ainda mais a situação.
Affe! Alguém tem uma boa ideia? Preciso pagar as minhas contas, preciso TABALHAR para ganhar mais GRANA, BUFUNFA, DINDIM, MONEY... bem que poderia ter sido eu a ganhadora da Sena... mas acho que o jeito é esperar a tempestade passar, a ventania levar esses tempos embora e torcer para o Sol voltar a brilhar...
Até.

domingo, 12 de junho de 2011

Meu vício...

Aquele que tem por vício a leitura, droga alucinógena das mais leves, acabará cada vez mais dependente dela. E o pior, passará para drogas mais pesadas, como a escrita. Nesta fase crítica, o leitor, agora escritor, tende a fugir regularmente da realidade e ter devaneios de que, assim como Deus, é criador de Universos inteiros.
(Jefferson Luiz Maleski)

Até...

A coruja e a sabedoria...

Texto original: http://www.iq.ufrj.br/index.php/descomplicando-a-quimica/328-a-coruja-e-a-sabedoria.html
Não é por acaso que a Coruja é tida como um símbolo de sabedoria em diversas culturas, pois ela pode ver o que os outros não conseguem: a essência da verdadeira sabedoria. Onde outros se iludem, a Coruja percebe com precisão o que realmente ali se encontra, já que é uma excelente conhecedora dos segredos da noite.

A coruja da filosofia é a Coruja de Minerva. Minerva é uma deusa romana e seu equivalente grego é Athena. Athena, a deusa grega da sabedoria, possuía uma Coruja de estimação que permanecia sempre em seu ombro e lhe revelava as verdades invisíveis. Essa Coruja tinha o poder de iluminar o lado obscuro da deusa, capacitando-a a perceber toda a verdade e não apenas aquela parcela da verdade que podia discernir sem seu auxílio. Em função disso a coruja ficou associada à deusa da Sabedoria. Eis a ave da deusa da Sabedoria e da Justiça: atenta coruja, cujo pescoço gira 360º, possuidora de olhos luminosos que, como Zeus, enxergam “O todo”. Devido a todos esses atributos, a Coruja simboliza também a Filosofia, os Professores e nossa proposta de Conhecimentos Sem Fronteiras: integrar todas as formas de conhecimento com o olhar para O Todo.

Uma outra característica que a associa com a sabedoria é a sua alta capacidade de ver no escuro, como se ela conseguisse ver o que os outros não vêem.

A coruja tem a capacidade de ver uma quantidade de luz 100 vezes a mais que o ser humano. Ela também tem uma ótima audição. A disposição de seus olhos permite uma ótima percepção do relevo e da distância. A coruja é capaz de piscar um olho e também girar a cabeça até três quartos da rotação total, para poder enxergar as coisas que estão ao seu lado. Assim como muitas aves, são animais muito fiéis ficando juntos até o fim da vida.

Em latim é Noctua, “ave da noite”. Noturna, relacionada com a lua, a coruja incorpora o oposto solar. Observem que Athena é irmã de Apollo (Sol). É símbolo da reflexão, do conhecimento racional aliado ao intuitivo que permite dominar as trevas. Apesar de haver uma forte associação desta ave à escuridão e a sentimentos tenebrosos, o que é natural a um ser noturno, o fato de ela ter sido (devido a suas específicas características) atribuída à deusa Athena também a tornou símbolo do conhecimento e da sabedoria para muitos povos.

Na introdução de sua obra Filosofia do Direito, o Filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770-1830), escreve o seguinte:

Quando a filosofia pinta cinza sobre o grisalho, uma forma de vida já envelheceu e, com o cinza sobre cinza não se pode rejuvenescer, apenas reconhecer; A coruja de Minerva alça seu vôo

Magia
Presságios
Espaço e tempo.
A verdade emergira
Da luta silenciosa
Dissipando a ilusão?
Pássaro da Cura Sagrada.

Até a próxima!!!

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Enquanto isso, na sala dos professores...

Andam falando de amor... dia dos namorados, presentes, amores ou aventuras e tudo mais o que diz respeito ao assunto. Mas, de todos os casos e lamentações dos últimos dias, essa foi a melhor história que eu ouvi na sala dos professores: uma das professoras contou que, conversando com uma aluna, em um dado momento ela perguntou:
-Professora, você vai passar o dia dos namorados sem namorado?
-Vou.
-Que triste passar o dia dos namorados sem ter um namorado para abraçar!
- Triste por quê? Eu não passo o dia do índio com o índio e nem o dia da árvore abraçada com uma árvore... e nem por isso eu fico triste!
Ao terminar a última frase foi uma gargalhada geral... todos os professores começaram a rir, até mesmo quem não participava da conversa não teve como conter o riso. Eu achei ótima a resposta da professora, muito original, diga-se de passagem.
Quando eu era criança, morria de curiosidade para saber o que se passava na sala dos professores... hoje eu sei!

Até a próxima...

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Indicação

A poesia emociona... mexe com os sentidos... toca uma parte de você que nada, nem você mesmo é capaz de tocar se não através da arte...

Em doses cavalares, ou mesmo homeopátias... essas poções curam qualquer amargura! Experimente!

Até a próxima...

quinta-feira, 2 de junho de 2011

O Quereres - Chico e Caetano

Tem como não se emocionar?
Composição : Caetano Veloso

Onde queres revólver, sou coqueiro
E onde queres dinheiro, sou paixão
Onde queres descanso, sou desejo
E onde sou só desejo, queres não
E onde não queres nada, nada falta
E onde voas bem alto, eu sou o chão
E onde pisas o chão, minha alma salta
E ganha liberdade na amplidão

Onde queres família, sou maluco
E onde queres romântico, burguês
Onde queres Leblon, sou Pernambuco
E onde queres eunuco, garanhão
Onde queres o sim e o não, talvez
E onde vês, eu não vislumbro razão
Onde o queres o lobo, eu sou o irmão
E onde queres cowboy, eu sou chinês

Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor

Onde queres o ato, eu sou o espírito
E onde queres ternura, eu sou tesão
Onde queres o livre, decassílabo
E onde buscas o anjo, sou mulher
Onde queres prazer, sou o que dói
E onde queres tortura, mansidão
Onde queres um lar, revolução
E onde queres bandido, sou herói

Eu queria querer-te amar o amor
Construir-nos dulcíssima prisão
Encontrar a mais justa adequação
Tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e é de viés
E vê só que cilada o amor me armou
Eu te quero (e não queres) como sou
Não te quero (e não queres) como és

Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor

Onde queres comício, flipper-vídeo
E onde queres romance, rock?n roll
Onde queres a lua, eu sou o sol
E onde a pura natura, o inseticídio
Onde queres mistério, eu sou a luz
E onde queres um canto, o mundo inteiro
Onde queres quaresma, fevereiro
E onde queres coqueiro, eu sou obus

O quereres e o estares sempre a fim
Do que em ti é em mim tão desigual
Faz-me querer-te bem, querer-te mal
Bem a ti, mal ao quereres assim
Infinitivamente impessoal
E eu querendo querer-te sem ter fim
E, querendo-te, aprender o total
Do querer que há, e do que não há em mim

Até...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Querer em poesia...



Quero parar o tempo e apenas observar...
Ver a brisa, comer odores...
Tocar a luz, cheirar as cores ...

Quero o improvável, o impossível.
Sentir a arte e deixá-la fluir...
Ter coragem de seguir.

Quero o amor como paixão e
Ter paixão no amor...
Nesse frio, sentir calor.

Quero boemia e quero lucidez
De ser louca na mesma proporção
Em que sou sã.

Quero a liberdade e responsabilidade
De ser dona de meu destino
E escolher o meu caminho.

Quero tantos quereres
Que nem me lembro de todos agora
Só sei que quero a toda hora.

Quero deixar de querer...
Mas até mesmo não querer é
Também um querer.

Antes do querer, vem o agradecer...
Obrigada!

Até.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Pranto

Sinto uma enorme vontade de chorar!!!
Períodos de tormenta, semanas tumultuadas, grana curta para um mês longo, dívidas, contas, compromissos, responsabilidades, divergências... ai quando isso tudo acaba? Eu não aguento mais! Quero o poder de desligar tudo, apagar tudo e reiniciar o mundo... enquanto isso, o que me sobra como válvula de escape é o pranto. Choro pela sensação de impotência que sinto perante a vida, pelo medo do que possa acontecer amanhã, choro porque preciso extrapolar, choro porque eu já não caibo dentro de mim, choro para lavar alma, inundar meu ser, esvaziar meu peito, desabafar minhas mágoas... choro hoje para abrir espaço pro riso entrar.
Até...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Uma questão de tempo...

Sabe aquela sensação frustrante que a gente sente quando se decepciona com algo que tinha como certo? Pois é exatamente assim que estou me sentindo agora. Acabei de chegar da atribuição de aulas... fui na esperança de conseguir as aulas de inglês e de leitura e produção de texto, mas depois de mais de 1 hora esperando a representante da escola chegar, recebi a notícia de que as aulas simplesmente não estavam disponíveis para atribuição porque o período de licença que o professor tirou foi menor que 30 dias, portanto nada feito. O pior é que as duas disciplinas eram desse mesmo professor, ou seja, não me restou aula alguma. Bem que poderíam ter retirado do site, ou melhor, nem posto no saldo de aulas!!! Fiquei brava e triste...
Mas deixa pra lá! Se não deu dessa vez é porque aulas melhores virão... é tudo uma questão de tempo... basta esperar! Porém espero apenas que não demorem a chegar. Enquanto isso vou trabalhando por aqui...
Até a próxima.

sábado, 14 de maio de 2011

Novas perspectivas...

Nossa, semana cansativa! Muito trabalho e muita espectativa; novas perspecticas em mente e mais otimismo também! Comecei a minha pós e estou animada com as disciplinas desse módulo, as professoras são dinâmicas e as aulas interessantes. Também consegui dar muitas aulas de eventual, três delas no período da noite (pela primeira vez para adultos) e, adorei! Foi uma experiência nova para mim e gostei muito de trabalhar com as turmas dos supletivos.
Essa semana vi que posso pegar algumas aulas de inglês para lecionar e acho que vou encarar o desafio. No começo fiquei meio insegura, mas acho que não pode ser tão complicado assim, a final tenho licença e conhecimento para tal, mas toda primeira vez dá um friozinho na barriga... troquei algumas ideias com o Nilton, que já trabalhou com o material de inglês no Estado, e ele me disse que é tranquilo e que não é assim tão complicado quanto se pensa antes de tentar, isso me animou e vou ver no que dá!
Estou apreensiva com essa possível mudança de carga horária, mesmo porque as aulas que pretendo pegar são numa escola que ainda não conheço e vai ser tudo novidade, espero conseguir fazer bem o meu trabalho e conciliar bem os horários. Que bom que as coisas estão começando a se mover... eu estava muito parada esses últimos tempos e, quando fico parada por muito tempo, fico descontente e irritada com essa situação. Mas tudo está mudando e, pelo o que tudo indica, parada não vou ficar!
Avante e sempre! Até a próxima...

domingo, 8 de maio de 2011

Grafitando...

Nessa última sexta-feira nós encerramos as aulas das oficinas de arte stencil e, para tal, pintamos um muro gentilmente cedido para que nós pudéssemos fazer um mural utilizando os moldes que produzimos durante todo o curso. Foi uma experiência nova para mim, principalmente porque estávamos ao lado de um dos precursores dessa modalidade aqui no Brasil, Celso Gitahy, o que tornou ainda mais especial essa empreitada! Isso sem falar da colaboração de Moisés Patricio, artista e arte educador que, assim como o Celso, veio para Atibaia especialmente para essa atividade a convite de Matias Picón, idealizador e professor das oficinas na Galeria Mutante.
Quem também apareceu por lá foi Simone Lazzarini, aluna do último ano de jornalismo que, como TCC, está escrevendo um livro-reportagem sobre o trabalho desenvolvido por esses artistas e, graças a ela e sua mãe, que tiraram algumas fotos, agora compartilho com vocês, leitores, alguns desses momentos:

Valeu pessoal, por toda vivência, adorei cada minuto!!!
Até a próxima...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Minha Pós-Graduação

Na última sexta-feira (29-4-11), enquando acontecia o casamento real entre o príncipe William e a (ex)plebeia Kate, eu estava participando do 2º Encontro Pedagógico das Escolas Estaduais de Atibaia, que aconteceu na Igreja Batista de Atibaia e contou com a presença de representantes de 16 escolas estaduais da nossa cidade. Foi um evento organizado pelos gestores das escolas em parceria com a Prefeitura de Atibaia e Diretoria de Ensino de Bragança Paulista.
Pudemos ouvir as palestras de especialistas na àrea da educação que falaram sobre temas como relacionamento entre pais e filhos, bulling e inclusão. Das três palestras ministradas, sem desmerecer os outros dois palestrantes, a melhor foi a do Professor Jairo Passos. A forma de abordagem que ele tem para com o público, a interatividade dele com seus ouvintes é um aprendizado. Ele foi espetacular!
Nesse mesmo evento, aconteceu um sorteio de bolsas de Pós-Graduação na àrea da Educação e adivinhem só quem ganhou uma das bolsa? Eu! Ganhei uma bolsa de 50% de desconto para o curso de Língua Portuguesa e Literaturas. Assim, em apenas 2 anos, me tornarei uma especialista na minha àrea. ADOREI!!! Não via a hora de voltar a estudar, mas a grana nunca dava... agora com esse descontão eu começo a minha pós hoje mesmo! Estou muito feliz por isso, minhas possibilidades de contratação serão maiores.
Agora mais do que nunca tenho que me esforçar, estudar e trabalhar bastante. Força!!!!
Até a próxima...

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Mudar...

Minha vida como fumante começou cedo. Aos 16 anos comecei a fumar, quando ainda estava no ensino médio... desde lá (1995) , fiz uma pausa de 2003 a 2005, período em que estive grávida e amamentando, mas logo depois do primeiro trago voltei a fumar. Estou hoje com 29 aos. Se fumo desde os 16, salvo os dois anos em que fiz uma pausa, são praticamente 13 anos fumando!!! Não quero continuar a minha história como fumante... por isso há algum tempo eu decidi que pararia de fumar, mas essa não é uma tarefa fácil, ainda mais quando outros fumantes fazem parte da sua vida, porque tem-se contato contínuo com o cigarro, o que torna ainda mais desafiador não fumar.
Então, há mais ou menos 20 dias o Vini iniciou a empreitada de NÃO AO CIGARRO e eu topei o desafio junto com ele. Desde 08 de abril estamos sem fumar. Já na primeira semana comecei a sentir os efeitos da desintoxicação... muito pigarro, catarro, nariz entupido de caca. Acontece uma limpeza realmente, até meu intestino começou a funcionar mais de uma vez ao dia, o que para mim não é comum.
Na segunda semana eu senti mais vontade de fumar, mas continuei forte no propósito. Hoje, 18 dias após, eu me orgulho por estarmos, Vini e eu, resistindo ao vício. Nos vejo melhores agora, sem aquele cheiro de cigarro empregnado nas roupas e cabelos, sem ter que sair para fumar enquanto os amigos estão dentro do bar conversando, sem hálito de cinzeiro... estamos realmente melhores agora. Ainda sinto muita vontade de fumar depois de tomar um cafezinho, ou mesmo após as refeições, mas os resultados que tenho sentido me fortalecem e assim vou seguindo firme no propósito de manter-me longe do cigarro.
Estou aqui registrando esse acontecimento pois o considero um marco em minha vida. Quero a partir dessa atitude, mudar muitas outras coisas no meu dia a dia e me tornar uma pessoa cada vez melhor. Os próximos passos são: fazer mais atividades físicas, caminhar, fazer exercícios localizados, tornar a alimentação mais saudável, meditar... Quero mais vida e espero que esse texto sirva também de incentivo para os que fumam e querem parar. Mudar nem sempre é facil, mas muitas vezes é necessário. Eu estou resistindo ao meu vício e você também pode!
Até a próxima!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Ser ou não Ser

Hamlet: Ser ou não ser, essa é a questão: será mais nobre suportar na mente as flechadas da trágica fortuna, ou tomar armas contra um mar de obstáculos e, enfrentando-os, vencer? Morrer — dormir, nada mais; e dizer que pelo sono se findam as dores, como os mil abalos inerentes à carne — é a conclusão que devemos buscar. Morrer — dormir; dormir, talvez sonhar — eis o problema: pois os sonhos que vierem nesse sono de morte, uma vez livres deste invólucro mortal, fazem cismar. Esse é o motivo que prolonga a desdita desta vida.

William Shakespeare, in "Hamlet"

Até a próxima...

terça-feira, 19 de abril de 2011

Criança peralta

O dia todo brinca,
pula, corre e apronta
quando fica quieta...
é faz de conta!

Até!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Apenas um parágrafo:

Vou escrever para todos lerem o que escrevo... quero que todos saibam o que se passa na minha mente de insana poeta... devaneios ou sonhos, seja lá o que escrevo quero que todos leiam e saibam. Pois é esse o propósito da arte: mostrar-se. Exponho minha escrita e mostro ao mundo quem sou, como sou... ou ao menos como quero que me vejam. Mostro-me, então, como a poeta que sou... poetizando loucuras, devaneando razões, buscando perguntas e respondendo questões.

Até a próxima.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Nostalgia em mim...


Até a próxima!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Navegar é preciso!

Quando caimos, só nos resta levantar...
é difícil, mas é assim.
Estamos no mesmo barco
remando na mesma direção...

rumo a mares desconhecidos e desejados,
mas sem escapar ilesos
das tempestades que o destino nos reserva

o tempo explica a razão de cada tormenta
e a lição é aprendida no silencio da reflexão...

Até a próxima!

Faça aqui sua pesquisa

Minha foto
♣Tânia Yuri ♣
Atibaia, São Paulo, Brazil
❤ Mãe, filha, amiga, professora... ♀ MULHER ♀
Visualizar meu perfil completo